pessoas melbourne
conseguir emprego

21 truques pra conseguir emprego no primeiro mês do intercâmbio – leia o último por favor!

Arranjar emprego é um dos principais desafios da vida no exterior – seguido por achar lugar prá morar e conseguir se comunicar (na real tudo junto ao mesmo tempo e misturado simultaneamente, êê confusão!). Na listinha abaixo vão umas dicas pouco exploradas, mas que podem ajudar bastante nessa empreitada.

1 – Bata muita perna. E não apenas nas ruas movimentadas e regiões onde o comércio é forte. Às vezes pode ser que a vaga que está esperando por você esteja naquele restaurante escondidinho, onde até mesmo a concorrência é menor.

2 – Se o estabelecimento for muito a sua cara e você sentir que adoraria trabalhar lá, não tenha vergonha de perguntar se eles estão contratando, ou como você faz para se candidatar (normalmente, porém, eles anunciam na vitrine).

3 – Vá sozinho: nada a ver se candidatar a empregos com uma turminha a tiracolo.

4 – Dê uma olhada cuidadosa no local antes de entrar sedento por deixar mais um currículo. Tem lugares tão zoados que, vai por mim, nem vale a pena desperdiçar papel.

5 – Esteja preparado: tem locais em que a entrevista começa (ou já é feita) assim que você deixa o currículo com o gerente. Continue reading

trabalho australia

Manifesto dos labours

Seja por limitações de visto, falta de experiência local ou pouca fluência no idioma, a gente engoliu o orgulho e encaramos mesas cheias, privadas sujas e chefes “quadrados”. Trocamos o prestígio de alguns cargos em empresas renomadas pela informalidade de trabalhos casuais. Penduramos trajes executivos e aderimos aos práticos uniformes. Substituímos o salto alto por calçados confortáveis e camisa bem passada por roupa fácil de lavar. O peso nos ombros, trazido por grandes responsabilidades, foi trocado pelo peso dos carrinhos de mão, do aspirador de pó ou dos filhos dos outros. Trocamos baías aconchegantes de escritórios por restaurantes, lojas ou até casas – confortáveis como eram as nossas… A escada corporativa pela escada da obra. A churrascaria cara do almoço por um lanche rápido, que desce goela abaixo enquanto a gente dá oi no WhatsApp e engole a saudade. Continue reading

snapchat australia

5 Snapchats Australianos que você precisa seguir

Ainda que o Snapchat não me pareça ser tão popular entre as celebridades australianas, dei uma bela esmiuçada até conseguir elencar um top 5 cheio de gente legal. Seguir esse pessoal é uma maneira divertida de turbinar o inglês e aprender um pouco da cultura local. Na dúvida se eles são #TeamSnap ou #TeamInsta, coloquei a conta dos dois.

Zoe Blake

Zoe Blake vida na Australia

Inteligente, bem humorada e mãe de bebê fofo

A Zoe não é “rata de rede sociais” mas volta e meia lança algum post inteligente e bem humorado. Comecei a segui-la no Snapchat há pouco, já no Instagram acompanho há mais tempo e juro, pela primeira vez na vida não me importo se ela “floodar” a página com fotos do filho, que é o bebê mais fofo que já vi na vida, fruto do casamento dela com outra figura que vale muito a pena seguir: o Hamish Blake, um apresentador hilário da tv australiana (Instagram: hamishblakeshotz).

— SNAPCHAT: ZINGUS – INSTAGRAM: ZOTHEYSAY — Continue reading

morar fora australia

Sobre morar fora: Apenas Vá

Apenas vá
Leve excesso de coragem

Esqueça a preocupação

Sua mala não vai ultrapassar o limite permitido
Não será extraviada
Mas certamente vai estar cheia de itens desnecessários
Ainda que as coisas mais importantes nunca possam ser transportadas…

Apenas vá
Sua família, amigos e cachorro sobreviverão sem você
E embora isso conforte
É inegável a tristeza que traz Continue reading

9 coisas que você precisa saber prá não se decepcionar com a Austrália

1 – O verão é chuvoso e o inverno frrrrio
Pelo menos assim tem sido em Sydney, um mix entre o clima tropical de Queensland e o inverno rigoroso de Melbourne. Mas há esperança: entre dias chuvosos no verão e gelados ventos no inverno, o sol brilha lindamente. A enxurrada é só de fotos nas redes sociais. Continue reading

Tasmânia – o que tem?

A Tasmânia, além de ser a terral natal do Taz, é um dos 8 estados que formam a Austrália. Por ser uma ilha isolada ao sul do país, com uma população bem pequena e essencialmente rural,  é muitas vezes tratada como o ‘irmão bastando’ do resto da Austrália. Pura bobagem, já que lá encontramos paisagens de tirar o fôlego e um monte de gente simpática. Aí vai uma ideia do que mais tem por lá. 

Continue reading

13 provas de que vc não precisa de tanto dinheiro pra curtir a Austrália

Siiiiim!!!, muita gente esvazia o cofrinho prá chegar aqui e, ao aterrizar, descobre um dos custos de vida mais altos do mundo. Esteja você a turismo, intercâmbio ou tendo vindo prá ficar, isso não precisa necessariamente afetar a qualidade da sua experiência.

Além das praias, feiras e eventos gratuitos, aí vão umas inspirações prá curtir sua estadia na Austrália sem precisar deixar um rim aqui.

Continue reading

Para meus donos de estimação

Tem muita gente precisa de profundas reflexões para descobrir seu verdadeiro propósito na vida. Ao contrário dessas pessoas, eu vim ao mundo com uma função bem definida. E exerço tão bem meu papel de predador que o governo aqui da Austrália pretende exterminar 2 milhões de felinos, como eu, nos próximos anos. Diante dessa intimação, precisei rever meu papel na sociedade, de modo que possa contribuir a ela sem representar uma ameaça à vida selvagem – e, claro, poupando minhas preciosas 7 vidas.

photo 1 (2)

Minha reação quando fiquei sabendo da notícia…

Continue reading

Sobre as coisas do Brasil que eu nunca imaginei que fossem fazer tanta falta

Pão de queijo, guaraná e até Festa Junina já estão quase virando commodities globais. Amigos, família e cachorro farão uma falta danada, mas disso a gente já sabe antes mesmo de partir. Mas os itens abaixo… ááaah, desses eu não esperava sentir saudade.

Continue reading

Coisas que você pode fazer no exterior sem ninguém julgar

“No estrangeiro, nunca se é um estranho para si, mas sempre o mais íntimo”. Michael Onfray

Se no Brasil muita gente tende a olhar com estranheza para comportamentos que fogem do padrão, no exterior ninguém tá nem aí pro que você faz no restaurante, com sua carreira, como se veste ou com quem se relaciona.

Sejam por fatores econômicos, culturais ou de legado deixado pela família Real quando dividiam solo brasileiro com os tupiniquins (sempre convém culpá-los pelas nossas mazelas), aí vai a listinha das neuras que você pode deixar no Brasil quando embarcar rumo aos destinos mais populares de intercâmbio.

Continue reading

It’s Refugee’s Week

Essa é a Semana dos Refugiados e a Austrália tá toda nessa vibe meio amistosa meio polêmica.

A vinda desse pessoal que vem tentar asilo político aqui gera muita discussão e a forma como administrar isso parece ser um dos principais problemas da Austrália. O desespero de muitos desses refugiados é tamanho que alguns chegam em barcos insalubres e sem documentação, fugidos das guerras ou perseguições que sofrem no país onde nasceram (Paquistão, Somália, Iraque, Afeganistão, Síria e tantos outros).

Eu, que até já me conformei com algumas injustiças do mundo, não posso deixar de solidarizar com qualquer ser humano corajoso o suficiente para colocar a própria vida em risco em busca da sua felicidade. Assim como eu, uma privilegiada imigrante por opção, eles só estão lutando por um futuro melhor. No fim das contas estamos todos no mesmo barco.

photo (3)

Cartazes espalhados pelas principais cidades do país: “Australianos de verdade dão boas-vindas”.

Sobre 4 rodas na mão inglesa – 1/2

dirigir

Mesmo que eu tenha sido reprovada no primeiro exame de direção, sempre me considerei uma motorista confiável, relativamente boa ao volante. Com a carteira na mão aos 18 anos, para mim ela não apenas dava o direito de dirigir legalmente como também representava toda independência e autonomia trazida pelo possante. Dirigia prá cima e prá baixo, fosse com namorado palpiteiro, mãe gritona ou sozinha mesmo. Não sucumbia diante de nenhuma baliza apertadinha (mas confesso que torcia para não pegar sinal vermelho na ladeira).

Com uma boa trilha sonora, enfrentava desde free-ways vazias até os mais tediosos quilômetros de congestionamento – os quais sempre me faziam duvidar de todas possíveis vantagens já atribuídas a um carro.

Tinha no currículo até mesmo uma BR 116 sozinha, abaixo de uma tempestade assustadora, daquelas que não há velocidade turbo de limpa-vidros que de conta. Com a bravura de uma adolescente destemida, dirigi feito uma senhorinha de 84 anos. Cheguei em casa com a dor muscular da velhinha mas o feito de uma jovem corajosa. Isso aconteceu há alguns anos, no trajeto de Garopaba até Porto Alegre. Até então teriam sido os 400 quilômetros mais tensos da minha modesta vida sobre 4 rodas. Até chegar na Austrália. Continue reading

As placas mais bizarras do trânsito australiano

Alguém mais tem interesse por essa bosta?PLACA6

Super crise de autoestima:

PLACA 4

Horroroso! Ridículo!

Já que é prá xingar, que tal essa?

PLACA 5

Pensar que tem gente que paga prá assistir a Tosca…

Nem eu escapei:

PLACA 1

Stupid!

Essa baixou o nível de vez:

PLACA7

Nem queira saber o que rola nessa comunidade

Fazendo aloca:

PLACA 2

Esquina com AsBicha Street

E essa toda romântica?

PLACA 9

Disseminando a banalização do eu te amo

Karácoles!

PLACA 8

Essa região fica na Nova Zelândia, caraca foi a única palavra que aprendi do vocabulário maori

Melhor elogio que já recebi nas ruas de Sydney:

photo (1)

Lindra And Burra