vida na australia

A melhor parte da vida no exterior que ninguém conta

Mesmo que não tenhamos plena consciência, muitas decisões que tomamos e caminhos que seguimos são fortemente influenciados pelo meio que nos cerca. Em casa, pais projetam na gente seus os valores, frustrações e até preconceitos. Na escola, reproduzimos fórmulas matemáticas, físicas e químicas do mesmo jeito que o sistema educacional cria cópias de nós mesmos, enquanto nos ensina história, geografia e a querer passar no vestibular. Na mídia, enxurrada de dicas de como se comportar na entrevista de emprego, no primeiro encontro, na cama… Na firma, seguir as políticas da empresa não é suficiente, precisamos também moldar nossas atitudes ao que esperam da gente – mesmo que nem sempre concordemos com elas.  

Somos ligeiros ao traçar mentalmente o perfil de um desconhecido com base apenas nas informações do cargo que ele ocupa, academia que frequenta ou carro que dirige. Embora eu acredite que sejamos muito mais frutos das experiências que vivemos e como lidamos com elas, também é inegável a influência que o meio externo exerce sobre nós.

E se considerássemos um cenário hipotético, onde as pessoas não tenham a menor ideia de quem você é, de que família vem, com quem você namorou ou em que cidade cresceu? Também não teriam a mínima noção da reputação da faculdade onde estudou, e provavelmente nunca tenham ouvido falar nas empresas onde você trabalhou? Continue reading

Pagamento por hora Australia

Quanto vale a sua hora?

Aqui na Austrália os salários são mensurados por hora, no caso dos funcionários casuais, ou por ano, pra quem trabalha em turno integral ou meio período. Em geral, no universo dos labours (a galera que trabalha com os “subempregos”), quem ganha $15/hora tá batendo na mesma porta que um bando de chineses desesperados. Um emprego bom deve pagar ao redor de $20, dependendo da cidade.

A primeira vez que me vi pensando em quanto vale a minha hora foi quando meu marido cogitou contratar uma menina prá limpar nossa casa. Eu prontamente sugeri que, ao invés de pagá-la os $25 ou $30 por hora, eu mesma podia fazer a faxina. Pelo capricho que eu empenharia na tarefa, possivelmente demoraria mais, mas por $15 ou $20 eu topava. Acabou sim, consegui o job! A limpeza sobrou prá mim. Já o dinheiro, ficou com ele. Péssimo negócio, admito.

A segunda vez que me vi pensando no valor da minha hora foi num dia que eu estava trabalhando sob o mal estar medonho de uma ressaca filha da mãe. Naquele dia, eu quase propus pagar ao boss pra poder voltar pra casa… Continue reading