O dia em que eu me reapaixonei pelo Brasil

Hábitos Brasileiros 4

O dia em que eu me reapaixonei pelo Brasil não foi durante a Copa do Mundo, nem estava passando férias na Bahia. Meu time não havia ganhado jogo algum e não surgiram índices de que a violência tivesse diminuído ou a educação melhorado.

Me reapaixonei pelo Brasil em meio a protestos contra o governo, crise da Petrobrás, alta do dólar, dos juros e inflação. Clima de insatisfação geral, vindo de todos contra tudo. E foi nessa maré de desafetos que reatei meus vínculos com a pátria amada. Foi necessária uma tragédia pessoal – a perda do meu pai – para que aflorasse em mim uma nova perspectiva sobre meu país.

Continue reading

Micos Clássicos dos Estudantes na Austrália

  • Entrar no carro pelo lado errado

    Direção errada

    Por que diabos o assento do carona vem com uma direção?

  • Quase vomitar ao provar o vegemite

Trocar o requeijão-nosso-de-cada-dia por essa graxa comestível é dureza!

vegie3

  • Pedir run ball achando que é brigadeiro

Ótima tentativa das padarias daqui, mas o doce oficial brasileiro não leva rum, coco nem biscoito.

rum-balls

Atenção desavisados, eu não sou um brigadeiro!

  • Achar que o atendente gato tá dando mole porque perguntou seus planos pro dia

Até a hora em que a tiazinha da padaria perguntar, você ficará na dúvida se é educação ou interesse.

dando em cima

  • Perder seu ponto porque pegou no sono no ônibus voltando da balada

Até porque aquele balanço do buzão dá uma molezzzzzzzzzz. fallasleep

  • Foto na placa do canguru

Anota aí: quanto mais movimentada a estrada, mais constrangedor será. Foto placa

  • Traduções literais que não colam

A melhor que já ouvi foi uma amiga dizendo que tava cheia desses trabalhos braçais daqui. O problema é que ela se referiu a eles como “hand jobs” – uma maneira coloquial para dizer masturbação. what

  • Tomar multa por conta de passe de trem errado

Porque mesmo que a gente venha para estudar, com visto de estudante, e sacrifique dias lindos presos em uma sala de aula (ok, teoricamente), ainda assim não podemos comprar passe de estudante.

  • Desligar o telefone sem ter entendido 70% do que seu interlocutor faloutelefone

Nessas ocasiões o sorrisinho e aquela cara de que tá entendendo tudo não colam.  

  • Salva-vidas apitando para você nadar na área delimitada

Neste caso, acho válido simular um desmaio.sai mar2

  • Segurança da balada que fica no pé

Se você conseguir disfarçar o alto nível etílico na entrada, vai ter que se virar prá driblar as babás disfarçadas de segurança dentro do pub.

  •  Ser encaminhado às prateleiras de sopa quando você só queria comprar um sabonete

Aconteceu comigo. Desde então nunca mais errei a pronúncia de soap e soup (mas acabei de googlar como se escreve).

Aside

8 hábitos típicos Brasileiros que você perderá quando morar fora – e um que não tem jeito de se livrar

Tudo começou quando as raras sessões de chimarrão foram ficando cada vez mais escassas, o mate mais amargo e a bomba totalmente entupida. Os anos longe de casa haviam afetado não só meu paladar mas também a habilidade em preparar a mais tradicional bebida da minha terrinha.

Independente da sua cidade-natal ter ou não chimarrão, fato é que, quanto mais longe você estiver de suas origens, menos beberá da sua fonte. Seja pro bem ou para o mal, pelo menos é assim que tem acontecido comigo, como listo abaixo.

Continue reading