Aside

8 hábitos típicos Brasileiros que você perderá quando morar fora – e um que não tem jeito de se livrar

Tudo começou quando as raras sessões de chimarrão foram ficando cada vez mais escassas, o mate mais amargo e a bomba totalmente entupida. Os anos longe de casa haviam afetado não só meu paladar mas também a habilidade em preparar a mais tradicional bebida da minha terrinha.

Independente da sua cidade-natal ter ou não chimarrão, fato é que, quanto mais longe você estiver de suas origens, menos beberá da sua fonte. Seja pro bem ou para o mal, pelo menos é assim que tem acontecido comigo, como listo abaixo.

1. Chegar sempre atrasado

Embora no início da minha experiência vivendo na Austrália eu achasse que um atraso básico fosse necessário e até esperado, com o passar do tempo aprendi que, aqui, horários marcados são levados à risca, independente da formalidade da ocasião. Depois de alguns “chás de banco” levados pelos amigos compatriotas, me dei conta de como esse nosso hábito é muito forte – e que o cuidado com isso deve ser redobrado quando estamos fora no Brasil.

2. Paixão por doce muito doce

Muito cuidado ao descrever as delícias da gastronomia doce brasileira para os gringos. Leite condensado com manteiga e chocolate em pó (vulgo brigadeiro) pode não soar tão apetitoso quanto você pensa. Para eles, tudo que leva muito açúcar não desce – exceto a caipirinha, claro. De fato, nossos doces são tão doces que ardem a garganta. Eu continuo amando, mas hoje só duas mordidas são o suficiente para saciar meu desejo – e a cota mensal de açúcar!

3. Passar roupa

Bem simples: no exterior ninguém tem tempo, tábua de passar nem mãe para esses luxos desnecessários. O truque é só estender direitinho no varal que o ‘silviss’ tá pronto. Se o desespero for grande, vale também estender num cabide durante o banho. Atenção: essa regra não se aplica para ocasiões especiais, such as entrevista de emprego/distribuição de currículos, encontro do Tinder, fotos no cartão-postal da cidade, primeiro dia de aula, etc.

passar roupa

4. Querer sempre ser atendido por profissionais brasileiros

De médico a dentista até manicure, depiladora e designer de sobrancelhas: brasileiro morando no exterior tem mania de achar que só os brasileiros prestam. Ok, admito que eu continuo dando prioridade e confiando atendimento aos meus conterrâneos, mas aos poucos estou passando a acreditar que, não tendo alternativa, também existem médicos chineses, dentistas australianos, depiladoras húngaras que são excelentes profissionais. Fui obrigada a reforçar esse ponto de vista depois que comentei a um australiano como os médicos no Brasil são melhores do que os daqui. A réplica? “deve ser por isso que estão trazendo uns de Cuba”. Páh!

5. Tirar todos os pertences importantes de dentro do carro

Cresci escutando meus pais me alertando que bandido, quando quer roubar, quebra o vidro do carro só pra pegar uma jaqueta se for preciso. Hoje em dia, fica bolsa, óculos e tudo mais, no banco do passageiro mesmo. (Em breve, post: “Brasileiros vacilões acham que não existe maldade na Austrália).

6. Sempre dormir depois da meia-noite

Depois que saí do Brasil, me dei conta que muito da minha rotina era influenciada pela programação da TV. Pode até ser que você não acompanhe a novela das 8 (que começa às 9 e só termina pontualmente quando é dia de futebol), mas eu tinha a impressão que, quanto mais tarde fosse, melhor a programação. No Brasil, nunca preguei no sono antes das 11. Aqui na Austrália, 9:30 já estou me preparando para ir prá cama. Num país em que as academias já estão lotadas às 7 da manhã, onde o comércio fecha às 5 da tarde e a TV aberta tem uma programação beeeeem fraquinha, passada a temporada oba-oba de festas, você vai acabar se adaptando…

7. Ser muito vaidoso

Por aqui não rola da mulherada fazer mão e pé, religiosamente, toda semana. Uma porque é caro, outra porque o pessoal é mais desencanado mesmo. A moda dos coques de cabelo disfarçam qualquer bad hair day, e o salto alto fica reservado para as ocasiões especiais. Eu, aliás, descobri que não há poder maior do que um bom par de sapatilhas ou rasteirinhas bem confortáveis. Pros meninos, as Havaianas estão liberadas até mesmo com camisas sociais (soa estranho mas eles usam).

8. Dividir a conta da mesa na ponta do lápis

dividir tudo

Entre os australianos, a conta da mesa é dividida pelo número de pessoas do grupo. Portanto você pode ter pedido só uma saladinha, mas vai acabar pagando pelos steaks and drinks do resto da mesa. Os próprios restaurantes não aceitam pagamentos individuais. Lógico que no começo, quando eu tava na pindaíba, isso me incomodava um pouco. Hoje em dia, continuo pobre, mas aprendi o truque: beber junto e passar longe das saladinhas.

  • Exceção: biquíni brasileiro

Mesmo tendo visto várias brasileiras se adaptando tão bem à cultura local, quando o assunto é moda praia, não tem jeito. Estilo fraldão e bunda branca não rolam. Confesso que já caí na tentação, principalmente quando vou a praias menores, mais vibe família, onde convém se adequar ao código local. Até provei a calcinha com corte australiano. Constatei que não adianta; não há bunda P, M ou G que se favoreça nela. Volta e meia aparece mulherada de fio-dental. Eu acho que, se não for em Copacabana, fica meio descontextualizado e corre o risco de parecer vulgar. Mas já diz o ditado que opinião e bunda, cada um tem a sua. Eu adicionaria que, fora do Brasil, só mostra quem quer.

bundis

5 thoughts on “8 hábitos típicos Brasileiros que você perderá quando morar fora – e um que não tem jeito de se livrar

  1. Thuany says:

    Ameeeei os seus posts !
    Minha pretensão era ir fazer um curso de curta duração na Austrália mas além de ser muito longe a passagem e a moradia também não cabe no meu bolso . Mas amo a cultura e a simplicidade que os australianos levam . Espero um dia poder visitá-los. Como você conseguiu ficar 3 anos já no país ?

  2. Thuany says:

    Ameeeei os seus posts !Minha pretensão era ir fazer um curso de curta duração na Austrália mas além de ser muito longe a passagem e a moradia também não cabe no meu bolso . Mas amo a cultura e a simplicidade que os australianos levam . Espero um dia poder visitá-los. Como você conseguiu ficar 3 anos já no país ?

    • Oi Thuany! Se organiza e vem um dia sim! Eu consegui por conta do meu noivo, que é daqui, mas têm uma série outras alternativas além dessa, tipo o Skilled Visa ou ser “sponsorado” por uma empresa – tô meio por fora mas dá uma olhada. Beijos!

    • Thuany, desculpa a demora! Se vc gosta daqui, se prepara e vem um dia 😉 Eu estou há 3 anos porque meu noivo é daqui, aí aplicamos pro ‘Partner Visa’. Mas existem várias outras maneiras (só que ando meio por fora!). Beijos!

  3. DE FRANÇA says:

    Adoro suas dicas,gostaria de saber mas sobre esse lance dos biquínis aí? .Sou do Rio !,e vou passar férias aí. Bom usar biquínis pequenos,e tranaquilo? .Ou vão ficar te olhando estranho nas praias ????bjks.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *