Pelo Visto

Pelo visto
Só serei visto
Quando tiver um visto

Pelo visto
Ter um visto
É o troféu mais benquisto

Desse assunto até tento me esquivar
Mas ele está em todo lugar
Na aula. Na praia.
Nas mesas de bar

Pelo visto
No meu visto
É onde minha grana toda invisto
E minhas fichas deposito

Pelo visto
Junto papelada
Documentos traduzo
Fico confuso, acho intruso
O tanto que preciso comprovar
Às vezes parece um abuso

E se a pessoa que analisa meu pedido
Achar que tenho cara de bandido?

Alguém avisa a imigração:
Aquele que a um visto aplica
Já é um cidadão

Esperar causa agonia
Se aprovado meu visto for
Será minha carta de alforria

Se por ventura for negado
Alô, Seu advogado:
Aceita pagamento parcelado?

Aplicar, renovar, economizar
Eaí, tá difícil de aprovar?

Meu coração não aguenta
Viver toda essa tormenta

Viver com prazo de validade
Não é duro o bastante
Ter que lidar com a saudade?

O visto desejo
Um visto eu vejo
É tudo que mais almejo

Será que essa perseguição desenfreada
Impede-me de curtir a jornada?

Pelo visto
Invisto, persisto ou desisto?

Texto: Natália Godoy – Imagem: Eutah Mizushima – @eutahm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s