Sobre morar fora: Apenas Vá

Apenas vá
Leve excesso de coragem

Esqueça a preocupação

Sua mala não vai ultrapassar o limite permitido
Não será extraviada
Mas certamente vai estar cheia de itens desnecessários
Ainda que as coisas mais importantes nunca possam ser transportadas…

Apenas vá
Sua família, amigos e cachorro sobreviverão sem você
E embora isso conforte
É inegável a tristeza que traz

Apenas vá
A dor das despedidas será lentamente substituída pelo entusiasmo da nova vida
O agente de imigração vai ser mais simpático do que você imaginava
E você vai chegar inteiro
Nocauteado, mas inteiro

E não se preocupe se você vai passar frio
Se o vento sopra forte demais
Ou se o calor é insuportável
Você vai dar um jeito

Você vai conseguir viver sem aquele papaia matinal que só tem no Brasil
Sem aquele pão fresquinho com requeijão…
E descobrirá que até sem Todynho vive o homem

Você vai encontrar tudo do que já sentia falta mesmo antes de partir:
Uma academia baratinha
Um parque sossegado
Um novo bar preferido
Acredite: é possível que até toque forró e sertanejo

Talvez você continue frequentando eventos brasileiros
Talvez se interesse por salsa, culinária tailandesa ou espiritualidade indiana

Pode ser que passe a apreciar vinho francês
Ou a valorizar uma cachaça barata

Talvez você chore ao ouvir o hino nacional
Ou queira abraçar um velhinho na rua

Pode ser que doa forte quando o sobrinho negar papo ao telefone
Ou quando você se ver recusando vários convites importantes…

Pode ser que nem lembre das coisas que deixou pra trás
Ou pense nelas diariamente

Descobrirá que:
dá prá viver sem carro
não vai ficar anêmico por falta de pão de queijo
nem careca porque ainda não achou o xampu certo

Você vai dar um jeito
Vai achar um lugar pra morar
Um emprego pra te pagar
E um ombro onde chorar

E vai descobrir que
A gente precisa de muito menos do que imagina
E muito mais do que nunca imaginou

Texto e imagem: Natália Godoy

********************************

Gostou? Então você também vai curtir esses:

I love you Australia, but…

Brasileiros que moram na Austrália contam os erros de inglês mais engraçados que já cometeram

Sobre a cara de pau necessária pra aprender um novo idioma

 

 

45 thoughts on “Sobre morar fora: Apenas Vá

    • Então guria, fico lembrando do meu primeiro intercâmbio (quando tinha que fazer fila pra usar o computador hehe), as pessoas iam às escuras – eu mesma viajei sem ter ideia onde dormiria a primeira noite, muito menos onde morar – e acabava dando tudo certo… (mas prefiro hoje óbvio). Bjão!!

  1. Nossa lindo o texto, estava precisando disso… Estou indo em breve e não dá para negar que dá um frio(zão) na barriga. Mas como vc mesmo disse, a gente dá um jeito…
    Beijos ;*

  2. Marcia says:

    Ciao vivo in’Italia da 18 anni ho sentito le cose che hai detto nei primi dieci anni oggi mi sento cittadina di due mondi quando vado in Brasile sono felice ma dopo15 giorni voglio tornare perche qua è. Casa Mia non iludo nessuno a venire se aspetta tutto facili e subito ma non riesco piu a stare in Brasile per piu di 15 giorni.Lo so di ragazzi italiani che ancora fanno di esperienze forte in’Australia
    Auguri

  3. Poxa… Tá chegando a hora de ir, a gente fica mais introspectiva e acha um texto desse pra renovar a alma, pra nos lembrar que a vida é muito mais do que a gente imagina e pra nos acalmar diante de tantos medos… Em breve eu e meu marido estaremos aí na Austrália e vou me lembrar e tudo que li nesse texto. Um beijo

  4. Adriana says:

    Sou dessas,acho que sou assim de qualquer lugar.não so de onde nasci,adoro viajar,boas intençoes não faltam,pessoas aparecem,curtam,conheçam o lugar,culinaria e tudo que possa aproveitar so aproveite respire o ar. Apenas vai

  5. Amei o seu post, acho que é esse sentimento que todos nós que planejamos em morar fora sentimentos , eu principalmente tenho muito medo de não me adaptar, mas acho que quando se quer realizar um sonho, todo sacrificio vale a pena.
    Obrigada pelas palavras maravilhosas.

    • Obrigada você também Samia. Vai com medo mesmo. Se você vai se adaptar ou não, só tem um jeito de saber… Foca no sonho e, na pior das hipóteses, você terá uma vida rica em experiências prá lembrar no futuro 😉 Beijão!

  6. Patricia says:

    Aqui direto de Israel há 6 meses sem pão de queijo, cabelo ressecado pelo calcário da água, sem carro e penando para aprender este idioma terrivelmente difícil…amei o texto ???? exatamente isso que sinto ♡♡♡♡

  7. Keila Possa says:

    Boom estou na Alemanha-Gelnhausen aqui tem Todynho viu?!
    Mais aquele pãozinho de queijo…
    Não, não tem!
    Texto maravilhoso

  8. Ly Baptista says:

    Super gostei do texto, disse tudo, ou pelo menos aguçou mais ainda minha vontade de ir, meu sonho e morar na Italia, bjs

  9. Vinicius Oliveira says:

    Parabéns pelo texto Natalia! Eu tenho muita vontade de morar fora, mas ao mesmo tempo um pouco de medo.. e basicamente são todos os pontos que você mostrou.. preciso pensar menos e agir mais!

  10. Roberto says:

    Adorei o texto. Depois de viver por 8 anos nos USA, fui fisgado por uma muchacha pela internet e vivo agora há 4 anos em Costa Rica. São experiências riquissimas, apesar da saudade do meu Brasil. Gostaria que todo ser humano tivesse este desejo e a oportunidade de viajar pelo mundo.

  11. Denise Faggion says:

    Ai quando você fica se questinando se fez a coisa certa, ainda mais quando aceita essa aventura com gato, cachorro e piriquito à tira-colo, vem você com essa mensagem para me lembrar quem SIM… fiz a escolha certa.

    Obrigada Nath ????
    Namastê!!

  12. Amanda says:

    Estou na França há 5 dias e no momento tudo que eu penso é: por que eu resolvi vir? Afinal, optei pelo Master em Nice e terei que ficar um ano. Mas tem dado tudo errado, a residência universitária não tem mais vaga, tenho que achar um lugar para morar, a universidade não esclarece nada sobre o curso. Tudo às escuras. Só choro e não aproveito nada. Minha vontade é voltar no tempo. Será que isso vai passar? Tenho medo em cair em depressão. Não conheço ninguém aqui, e tudo é diferente. O calor é insuportável e nem a beleza das praias do sul da França conseguem amenizar minha tristeza. Desculpa o desabafo 🙁

    • Puxa Amanda!! O começo é sempre perrengue mesmo, e você recém chegou. Não posso garantir que as coisas vão melhorar (embora é bem provável que vão), tudo que posso dizer é que eu tentaria ter uma visão mais leve desses contratempos… Eles fazem parte da experiência e são temporários, até porque vc está aí de passagem. Certamente são esses momentos desconfortáveis, fora do seu meio familiar, que te engrandecerão como pessoa (e quem sabe até te farão valorizar mais sua casinha). Qd você lembrar dessa experiência, vc terá orgulho de si mesma. Bjão amada, boa sorte, corre atrás mas relaxa e aproveita tbém!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *