Silêncio barulhento de um mundo ensurdecedor

Há dias em que travo feio pra fazer um simples post aqui na caçamba do Instagram. Nos últimos tempos isso tem acontecido com frequência. Reviro pela trigésima vez as fotos do celular em busca de uma imagem, navego no meu infinito bloco de notas atrás de uma ideia de legenda, dou meu milésimo rolê pelas timelines da vida…

E acabo dominada por uma mistura de ranço com vergonha alheia, vergonha de mim mesma, com preguiça e um cansaço sem precedentes.

Dizem que vivemos a era de obesidade informacional. Às vezes sinto que exagero no consumo de calorias vazias oferecidas nesse banquete online. A azia que fica sobe da boca do estômago e vai até a cabeça, deixando uma sensação de ressaca mental meio estranha, uma bagunça interna difícil de explicar… Daí o que eu faço? Rolo a timeline mais um pouquinho, provando que, seja lá qual foi a estratégia que usaram pra nos viciar nesse universo farto de gratificações instantâneas, tá funcionando às mil maravilhas comigo.

O problema é que, entre tantas calorias vazias, sempre tem um bifinho nutritivo disfarçado de informação útil, ou alguma vida pra stalkear rapidinho e sem culpa, como fazemos ao abrir um chocolatinho light. Por causa desses filés, saladas e acompanhamentos, sempre volto, experimento pratos novos e lógico, faço caber uma sobremesinha.

Volto para encontrar o riso que ainda não dei, a barganha que não comprei, pra ver a vida daquele que um dia bloqueei.

Volto em busca do conselho que ninguém me deu, pra saber o que você comeu ou os rumos de José Dirceu. Volto pra saber quem sou eu.

Volto pra me distrair, para alguém mais seguir e dessa rotina banal fugir.

Parece até que tateio no escuro, que me escondo atrás do muro. Sabe lá deus que diabos tanto procuro!

Às vezes, convencida de que a beleza
da internet é o fato de ela ser democrática mesmo, vou lá e contribuo ainda mais com esse barulho silencioso. Outras vezes, silencio esse barulho ensurdecedor.

Todos nós temos muito a dizer, mas a pergunta é: o quê, de fato, você precisa ouvir?

Texto: Natalia Godoy – imagem: internet (rolei muitas timelines até achá-la)

 

3 comentários sobre “Silêncio barulhento de um mundo ensurdecedor

  1. Danton disse:

    Eu não acredito que achei um texto que me definiu tão bem. Ressaca mental, é isso.
    Tu foi homenageada no meu bloco de notas que me serve de diário com esse texto. Obrigado po me acordar

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s